Números da Agrifambahia superam expectativas

Text Resize

-A +A

Compartilhar

25/11/2004

Números da Agrifambahia superam expectativas


 


Na feira foram fechados negócios em torno de R$ 20 milhões, de acordo com a Secretaria de Agricultura do estado. A Feira de Agricultura Familiar (Agrifambahia) recebeu 281 caravanas, registrando 44 mil visitantes, 40% dos quais foram capacitados em práticas de produção, em setores como manejo de animais, trato vegetal e medidas sanitárias. Os cursos foram ministrados por 130 engenheiros agrônomos, 30% deles com mestrado, qualificados pela Empresa Baiana de desenvolvimento Agrícola (EBDA) para o treinamento. Negócios em torno de R$ 20 milhões foram fechados, de acordo com dados da Secretaria de Agricultura do estado (Seagri).


"O Objetivo é facilitar a incorporação ao processo produtivo deste público, de pessoas com poucos recursos e muitas dificuldades, às novas tecnologias agrícolas", explica o presidente da EBDA destacando o fato de que em seu primeiro ano, a feira se consolida como a maior da região no setor.


De acordo com Santana a pouca tradição de freqüência do pequeno agricultor a este tipo de evento não impediu os resultados expressivos. "Os contratos fechados com a Agência de Fomento da Bahia (Desenbahia) ficaram em torno de R$ 5 milhões, números concretos, sem computar perspectivas de novos negócios. Com o Banco do Nordeste (BNB), através de recursos do Pronaf B, específicos para o setor, fechamos em torno de 2 milhões, e com Banco do Brasil, mais R$ 1,5 milhão", enumerou. Em torno de R$ 6 milhões foram fechados por produtores diretamente na compra com expositores.


Os financiamentos se destinam à aquisição de máquinas implementos e animais, incluindo bovinos, caprinos, aves e também a surpresa de muitos negócios na apicultura. "O Produtor descobriu que as abelhas melhoram inclusive a qualidade da florada", explica.


Cerca de 3 mil produtores e estudantes de diferentes regiões do estado, e agricultores familiares da micro-região de Irecê, participaram diariamente de atividades temáticas e 32 palestras, de oficinas e cursos. Um dos pontos de maior visitação da feira foi o Espaço Cidadão, por onde passaram 8 mil pessoas.


O SAC Móvel, instalado no local confeccionou cerca de 1,5 mil documentos e 500 carteiras de trabalho e mais 150 títulos de propriedade foram entregues. Cerca de 800 pessoas foram capacitadas em primeiros-socorros e os visitantes receberam ainda orientação sobre prevenção de DST, Aids, doença de Chagas, leishmaniose, tuberculose, hanseníase e combate a dengue.


De acordo com o diretor da Fun Prime, André Guimarães, os números revelam o sucesso da primeira edição da feira. "A consolidação da Agrifambahia vai se transformar em mais uma referência nacional no setor agrícola", disse. A feira foi encerrada com um show do sanfoneiro Flávio José, na praça central de Irecê. Todo o lixo produzido pela Agrifambahia foi reciclado pela ONG Recicla Irecê.


Os pequenos agricultores ouviram a promessa do secretário nacional de Agricultura Familiar, Walter Bianchini, de que o governo federal tem projeção de aplicar R$ 1,3 bilhão na agricultura familiar nordestina no próximo ano. Deste montante, R$ 350 milhões seriam destinados à Bahia, que é o estado com maior concentração de agricultores familiares do País.


"O sucesso desta primeira edição abre caminho para a Agrifambahia se firmar no calendário dos eventos agrícolas mais importantes do estado", disse o secretário estadual de Agricultura, Pedro Barboza, lembrando que a Agrifambahia tem como propósito a inclusão social do pequeno agricultor através do acesso à tecnologia, capacitação e crédito. A feira é realizada pelo governo da Bahia, com participação de diversas secretarias, e organização da Fun Prime Produções e Eventos.


"Nos quatro dias de feira, conheceram projetos como Terra Fértil, Cabra-Forte, Flores da Bahia, Tucano, Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pater), e outros desenvolvidos pelo governo do estado para inserir o pequeno produtor no contexto do agronegócio e reduzir as desigualdades que existem na zona rural", ressaltou Barboza. Estado que concentra o maior número de agricultores familiares do País (89%), a Bahia não tem ainda valor de produção correspondente, ainda aquém de 40 % do total nacional.


Durante o evento, 126 expositores mostraram novas tecnologias e modos de produção para a agricultura familiar. No estande da Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa), por exemplo, o pequeno produtor podia conhecer formas simples e baratas de otimização do uso da água das chuvas.