Turquia confirma 3ª morte, mas OMS nega epidemia

Text Resize

-A +A

Compartilhar

11/01/2006

Turquia confirma 3ª morte, mas OMS nega epidemia



O terceiro de 4 irmãos infectados não resistiu; população está apreensiva





A Turquia confirmou ontem a terceira morte por gripe aviária em uma única semana. A vítima era uma menina de 11 anos, irmã dos dois adolescentes que haviam morrido dias antes. O quarto irmão, que também manifestou a doença, está internado em estado grave. A Organização Mundial da Saúde (OMS), porém, disse não haver motivo para preocupação, uma vez que as mortes estão concentradas em uma única cidade. Também está descartada, por enquanto, a hipótese de transmissão humana, suspeita levantada pelo fato de todas as vítimas pertencerem à mesma família.

O drama dos Kocyigit, uma família pobre da pequena cidade de Dogubayazit, no leste do país, perto da fronteira com o Irã, começou no sábado. Os quatro filhos foram internados no hospital de uma cidade vizinha com sintomas de gripe forte.

Segundo parentes, eles comeram um frango que tinha morrido por causa do vírus H5N1. Para os médicos, porém, o que provavelmente levou à morte dos irmãos foi o fato de eles terem brincado com a cabeça de um frango morto, como se fosse bola, dentro de casa.


CONTATO

No interior da Turquia, é comum que as pessoas vivam bem próximas dos animais. Apesar de vários pássaros na cidade de Dogubayazit terem morrido por causa da gripe aviária, as pessoas aparentemente não mudaram seus hábitos. "Meus sobrinhos sabiam que os animais estavam doentes, mas quem imaginaria que poderiam morrer?", diz Hasan Kocyigit, tio dos jovens mortos.

Segundo o médico que cuidou da família, o Tamiflu, até agora o único remédio antigripal que pode vir a ser eficaz contra a doença, não estava disponível na região quando foram detectados os primeiros casos. Ainda de acordo com o médico, cerca de 40 pessoas procuraram o centro médico desde 31 de dezembro. Pelos menos 23 estariam infectados pelo vírus.

Hulya, de 11 anos, morreu cinco dias depois de Mohammed Ali, de 14 anos, e um dia depois de Fatma, de 15. O irmão sobrevivente tem 6 anos e continua sob cuidados médicos.

Mohammed Ali foi a primeira pessoa a morrer de gripe aviária na Turquia. Até então, as vítimas eram todas do sudeste da Ásia. Nos últimos três anos, a doença matou pelo menos 77 pessoas em seis países.

Até o momento, a doença é transmitida apenas de aves para os humanos. Caso o vírus H5N1 sofra mutações e consiga passar de humanos para humanos, são grandes as chances de que tenha início uma pandemia mundial.

A OMS pediu que a população da Turquia e dos países vizinhos não entre em pânico. "A infecção está circunscrita a uma província. É desnecessário ter pânico", afirmou Fadela Chaib, porta-voz da OMS.

Apesar do pedido de calma, a população da capital turca também começa a ficar preocupada. Próximo de Ancara, foram encontrados patos selvagens com o vírus da gripe. A OMS enviou técnicos ao país para avaliar a situação.

NA AMÉRICA

Autoridades mexicanas mataram 300 aves depois de detectar um surto em granjas da região de Chiapas, no sul do país, no mês passado. Segundo o governo, porém, o vírus ainda não contaminou pessoas. Um surto semelhante, com uma cepa mais fraca do vírus, havia sido identificado em outubro na Colômbia. AFP, AP e EFE