Seagri e Abaf lançam programa para controlar praga em plantios de eucalipto e café

Text Resize

-A +A

Compartilhar

01/10/2015
Imprensa Seagri
Area de Interesse 
Desenvolvimento Agrícola

Seagri e Abaf lançam programa para controlar praga em plantios de eucalipto e café
 

Combater e controlar a praga da Lagarta Parda que nos últimos meses tem atacado principalmente os plantios de eucalipto e café no sul e extremo sul da Bahia é o objetivo do "Programa Fitossanitário de Controle da Lagarta Parda no Estado da Bahia" que a Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri), através de sua Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), a Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (Abaf) e entidades parceiras lançam nesta sexta-feira (2), às 14 horas, em Teixeira de Freitas. O lançamento acontece durante seminário que será realizado Parque de Exposições Timóteo Brito, como parte da programação da Exposição Agropecuária de Teixeira de Freitas.

O evento é voltado para produtores rurais, dentre eles os pecuaristas, apicultores, silvicultores e cafeicultores. Especialistas estarão reunidos para dialogar com os produtores e definir um plano de manejo para o efetivo controle da lagarta parda com a participação das prefeituras, das empresas, dos produtores rurais, das entidades ambientais membros da Comissão Técnica Regional, estabelecida e liderada pela Adab.   

O secretário estadual da Agricultura, Paulo Câmera, lembrou que a Lagarta Parda, cujo ataque provoca o desfolhamento das plantas, já ocorre em 14 estados brasileiros, o que torna a questão um problema nacional diante dos problemas que causa com graves reflexos na pauta de exportação. "A defesa agropecuária é uma das prioridades do governo, mas a participação do setor privado e dos produtores rurais é indispensável, sendo a informação e conscientização fatores de grande importância para viabilizar as ações de prevenção e de combate à praga", disse.

De acordo com Oziel Oliveira, diretor geral da Adab, “as lagartas estão entre as principais pragas que atingem os plantios de eucalipto. São 110 espécies nativas do Brasil. Picos populacionais da praga geralmente estão associadas aos eventos que deflagrem algum tipo de desequilíbrio ambiental. Em nosso cenário, possivelmente, os aspectos climáticos contribuíram".

“As empresas de base florestal estão unindo esforços a outras instituições de pesquisa, extensão e de produtores rurais para buscar soluções coletivas que possam fazer frente ao risco de aumento desta ameaça à agricultura na região”, informa Wilson Andrade, diretor executivo da Abaf. O seminário terá as presenças do superintendente de Política do Agronegócio da Seagri (SPA), Guilherme Bonfim; do diretor de Defesa Vegetal da Adab, Armando Sá: do presidente da Abaf, Sérgio Borenstain do presidente executivo da Aspex, Gleyson Rezende, e do professor do Departamento de Ciências Ambientais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Pedro José Ferreira Filho.
 

Fonte:

Ascom Seagri - Com informações da Ascom Abaf - 1º de outubro de 2015
Josalto Alves - DRT-BA 931
Contatos: (71) 9975-2354 / 3115-2794