ROTA DA CACHAÇA FAZ DESFILE DE RÓTULOS BAIANOS HOJE, ÀS 19h30, NA 30ª FENAGRO

Text Resize

-A +A

Compartilhar

28/11/2017
VIVA Comunicação Interativa
Area de Interesse 
Desenvolvimento Agrícola

Uma verdadeira cidade cenográfica do interior foi montada na 30ª FENAGRO para mostrar o potencial das aguardentes baianas. Intitulado de Rota da Cachaça, o espaço inédito reúne um total de 22 empreendimentos, organizados por cidades produtoras, que expõem e comercializam seus produtos e outros derivados da cana. Hoje (28), às 19h30, está programado um desfile dos rótulos baianos dentro da programação da exposição agropecuária.

Além da tradicional Cachaça de Abaíra, são destaques as cachaças de Rio de Contas, Caraguataí, Paramirim, Tarantim, Paratinga, Camaçari, Medeiros Neto, Feira da Mata, entre outras representações do estado. “A qualidade e tradição da cachaça baiana já são antigas conhecidas de quem aprecia a aguardente brasileira. Mas descobrimos que o baiano toma cachaça mineira sem saber que aqui temos cachaça de qualidade”, realça Vânia Medeiros, à frente da Rota da Cachaça.

Ela informa que, com suas peculiaridades, aromas e sabores próprios, as cachaças baianas já ganharam o mundo, sobretudo os mercados da Europa, Ásia e África, mas ainda existe um mercado interno que precisa ser explorado e expandido. “Para isso, precisamos estar organizados porque potencial produtivo já temos”, comemora.

Aos produtores, a Rota da Cachaça oferece durante a 30ª FENAGRO cursos de capacitação que visam à conscientização sobre a importância da certificação na garantia de qualidade, procedência e visibilidade. Palestras sobre produção de leveduras e exportação também estão programadas.

Pela primeira vez organizados numa exposição agropecuária, os produtores estão otimistas com a abertura de novos mercados, e a expectativa da organização é que, em 2018, a Rota a Cachaça esteja em mais seis feiras do estado da Bahia, combinando a gastronomia das respectivas região junto às diversas aguardentes.

Embora os dados do setor ainda sejam imprecisos, diante da existência de informalidade, estima-se que no Brasil existam cerca de 40 mil produtores e que na Bahia a atuação seja de 17,5% em relação a esse total (Sebrae). Isso porque, no Estado, a produção é somente de cachaça de alambique, de pequenos produtores, não havendo cachaça industrial ou de coluna e nem grandes produtores de cachaça de alambique.

 

 

VIVA Comunicação Interativa
Tatiane Freitas
71 99211-5722/ 4141-6025
Exibir no Canal do Agroinvestidor? 
0