Agronegócio cresce participação no PIB baiano do primeiro semestre/2020

Text Resize

-A +A

Compartilhar

15/09/2020

O agronegócio continua somando números positivos à economia da Bahia. A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) juntou dados seus a outros do IBGE para construir um estudo que demonstra, em números, o momento do Agro no estado. Em um período em que o PIB do país e de todos os estados está em declínio, devido à pandemia do Coronavírus, o que vem evitando declínios piores é mesmo a atividade agropecuária.

Na Bahia, o agronegócio teve crescimento de 7,3% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado. Para se ter uma ideia, no mesmo período a indústria teve uma queda de 6,7% e os serviços de 11,5%. De janeiro a junho de 2020 (primeiro semestre), o crescimento do agro baiano foi de 7,5% em comparação ao mesmo período de 2019.

Em todo o ano de 2019, o agronegócio teve uma participação de 20,7% no PIB da Bahia. No primeiro semestre de 2020, essa participação subiu para 24%, com crescimento de 3,3 pontos percentuais. A boa performance foi impulsionada por crescimento na produção física de vários produtos agrícolas, no primeiro semestre/2020, como sorgo (+48,5%), milho (+32,2%), cana-de-açúcar (+22,4%), soja (+13,5%), cacau (+12,4%), café (+12,5%), feijão (+10,7%), dentre outros. Ao todo, os grãos, na Bahia, tiveram um crescimento de produção física na ordem dos 15,1% no primeiro semestre de 2020.

Outro dado balizador é o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), divulgado pelo Ministério da Agricultura. A Bahia lidera os estados do Nordeste nesse ranking, sendo que os valores totais previstos para 2020, na Bahia, estão na casa dos R$ 36 bilhões, apresentando alta de 8,3% em relação a 2019, ano em que o VBP do estado ficou em R$ 33 bilhões.

O destaque para o agronegócio na Bahia se dá pelo acerto de uma série de políticas estaduais voltadas ao setor, interesse em modernização, facilitação da negociação e do escoamento das produções, além de escuta contínua de representantes e associações do setor Agro, sempre na busca por agir de forma construtiva para que os negócios do campo gerem cada vez mais e melhor. Somado a isso, fatores climáticos também foram positivos, com bons períodos de chuva em todo o estado.

 

Ascom/SEAGRI
Foto:Divulgação