Importância da Bahia cresce em estudo que traz o Brasil como um dos gigantes mundiais do agro

Text Resize

-A +A

Compartilhar

04/06/2021

Uma pesquisa que leva em conta dados internacionais das últimas duas décadas, com ênfase no ano de 2020, mostra a crescente importância do Brasil no cenário internacional dos alimentos.  O estudo foi elaborado pela Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (SIRE) e acaba de ser divulgado, apresentando um crescimento expressivo do país nas posições comerciais de vários produtos, tanto na produção quanto nos volumes exportados.

O estudo, por exemplo, ratifica o Brasil como o maior exportador de soja do mundo. Do início da pesquisa, em 2000, até o ano de 2019, o país oscilava nas primeiras colocações, sendo o segundo lugar sua melhor posição. Mas em 2020 o Brasil assumiu o topo da lista, como maior produtor e exportador da oleaginosa no mundo, segundo dados da SIRE. E para 2021, os números indicam uma permanência do país na liderança dessa seleta lista.

Os números da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas também apresentam o Brasil como o quarto maior produtor de grãos (arroz, cevada, soja, milho e trigo) do mundo, tendo nas primeiras colocações, por ordem, China, Estados Unidos e Índia. Em 2020, o Brasil foi responsável por 7,8% da produção mundial de grãos, com produção de 239 milhões de toneladas e exportação de 123 milhões de toneladas.

Esses números impactam positivamente na economia brasileira, o que é muito importante nesse período de dificuldades acumuladas devido à pandemia da Covid-19. No final do último mês de março, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgou uma nova projeção do valor adicionado do setor agropecuário para 2021, revisando de 1,5% para 2,2% a estimativa de crescimento do agro para este ano. A estimativa é baseada no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e em projeções próprias do IPEA. Em 2020, o agronegócio já havia ampliado sua participação no PIB total do país para 26,6%, sendo que em 2019 a participação era de 20,5%.

 

Os números da Bahia

A Bahia vive um grande momento no tangente aos negócios do campo, sendo destaque no cenário nacional e ajudando muito para que o Brasil consiga os avanços que vêm sendo observados no setor, em abrangência mundial. O estado é o maior produtor de grãos do Nordeste, com quase 50% de toda a produção da região.

No tangente especificamente à soja, os números da Bahia vêm em um constante crescente, impulsionados pela vigorosa performance da região Oeste do estado. Houve um crescimento, entre as safras de soja 2019/20 e 2020/21, de 5% em área plantada, 6,4% em produtividade e 11,7% em produção. A produção total da soja baiana na sagra 2020/21 está estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) em 6,8 milhões de toneladas, números que ratificam o estado como o maior produtor de soja do Norte/Nordeste.

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia (SEPLAN), consolidou os dados da participação do agronegócio no PIB baiano, em 2020. Os números anunciados em estimativa estavam em 23,8% e agora, consolidados, mostram que o agro respondeu, em 2020, por 24,4% do total do PIB baiano. Ou seja, praticamente um quarto de todo Produto Interno Bruto da Bahia vem dos negócios do campo.

 

Texto: Ascom SEAGRI
Foto: Divulgação