São Desidério e Formosa do Rio Preto estão entre as cinco maiores cidades da agricultura brasileira

Text Resize

-A +A

Compartilhar

24/09/2021

A leitura dos números divulgados pelo IBGE sobre a pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM) resulta na identificação de várias boas notícias para a Bahia, confirmando a sequência de elevado desempenho nos diversos setores do Agro do estado. De 2019 para 2020, a agricultura baiana teve o maior aumento em 26 anos, atingindo percentual de 41,9%, que resulta em um total de valor de produção agrícola de R$ 27,5 bilhões. E na construção desses números, variados apontamentos chamam a atenção. Um deles é a performance destacada de dois municípios baianos, Formosa do Rio Preto e São Desidério. O primeiro cresceu em 78,3% o seu valor total de produção agrícola; o segundo, em 44,6%. São números que impressionam e somente foram ultrapassados no Brasil, em aumento absoluto, por Maracaju, cidade do Mato Grosso do Sul.

A pesquisa do Google Maps traz que São Desidério fica a cerca de 880 km de Salvador e Formosa do Rio Preto a cerca de 990 km. As duas cidades pertencem à região Oeste da Bahia e são separadas por 182 km, acessando a BR-135. 

Os recentes dados da PAM mostram que São Desidério passou do terceiro para o segundo maior valor da produção agrícola no Brasil, isso devido a um crescimento no período 2019-2020 que foi o terceiro maior percebido no Brasil. Já Formosa do Rio Preto teve o segundo maior crescimento do país no período, saltando da décima-primeira colocação para a quinta. O valor da produção agrícola soma os negócios gerados por 66 produtos, sendo que, desses, 45 são cultivados na Bahia. As pesquisas são realizadas através de levantamentos em associações de produtores, órgãos públicos e entidades diversas ligadas ao setor da agricultura.

“O Oeste baiano é uma região muito próspera para o agronegócio, em especial para a agricultura. E São Desidério e Formosa do Rio Preto vêm ganhando destaque, ano a ano, com produções muito expressivas de grãos. Outras cidades da região, a exemplo de Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, também são gigantes do Agro baiano. Ou seja, o Oeste vem em um constante viés de crescimento no tangente à agricultura, colaborando imensamente para a economia do estado da Bahia. E, nesse contexto, São Desidério e Formosa do Rio Preto vêm se destacando”, disse o secretário da Agricultura, Pesca, Irrigação e Aquicultura da Bahia, João Carlos Oliveira.

São Desidério é uma cidade que há muito figura entre os municípios de melhor performance do Brasil no tangente à agricultura. E no período 2019-2020 sua performance foi novamente muito boa. Os dados da pesquisa do IBGE mostram que, no período, a cidade saltou de um valor agrícola total de R$ 3,2 bilhões para R$ 4,6 bilhões. A maior responsável por esse resultado é a cultura da soja. A PAM mostra que o volume de soja produzido no município cresceu 15%, totalizando 1,5 milhão de toneladas em 2020. Isso resultou em um valor de produção de R$ 2,5 bilhões, número 76,2% maior que o de 2019.

São Desidério também teve bons resultados com o milho. Sua produção cresceu em 12% entre 2019 e 2020, passando para 379 mil toneladas colhidas, com um valor de R$ 299 milhões, representando avanço de 75,7% no valor total de produção. Soma-se a isso o algodão, que em São Desidério teve valor de produção 9,3% maior em 2020 do que o percebido em 2019. O algodão, em valores totais, atingiu, em 2020, no município, o montante de R$ 1,6 bilhão. São Desidério é o segundo maior produtor de algodão herbáceo do país, tanto em quantidade quanto em valor, atrás apenas de Sapezal/MT.

Já Formosa do Rio Preto contabilizou, em 2020, um valor da agricultura da ordem dos R$ 3,7 bilhões – R$ 1,6 bilhão a mais do que o aferido em 2019. Os desempenhos das culturas da soja, do milho e do algodão aqui também fizeram a diferença. Em sequência, tendo como referências a safra de 2019 em comparação com a de 2020, no município a produção de soja cresceu em 23,5%; a do milho em 52,2%; a do algodão em 19,7%. 

Agora, Formosa do Rio Preto é o segundo maior município sojicultor do Brasil, tanto em quantidade (1,6 milhão de toneladas) quanto em valor da produção (R$ 2,7 bilhões). Esse valor final de toda a produção de soja do município em 2020 (R$ 2,7 bilhões) é 90,8% maior do que o de 2019. Um crescimento que impressiona.

“Ao analisarmos esses números, precisamos reconhecer o esforço daqueles que trabalham no campo. Foram grandes heroínas e heróis que, mesmo em meio à pandemia que tomou o Brasil, não deixaram de lidar com a terra, sempre com responsabilidade, reconhecendo e respeitando as regras impostas pelas autoridades sanitárias. Os números também demostram o quanto o Governo do Estado da Bahia e a SEAGRI estão realizando políticas e ações acertadas, colaborando sempre para o desenvolvimento da nossa agropecuária, em todos os territórios de nosso estado”, ressaltou João Carlos Oliveira.

Segundo os dados da pesquisa Produção Agrícola Municipal, a Bahia é o terceiro estado com maior número de municípios entre os 50 maiores valores da produção agrícola do país, oferecendo à seleta lista seis municípios, que são, por ordem decrescente: São Desidério, Formosa do Rio Preto, Barreiras, Correntina, Luís Eduardo Magalhães e Riachão das Neves.

 

Texto: Ascom/SEAGRI
Imagem manipulada: Ascom/SEAGRI